EDUCAÇÃO: SITUAÇÃO PRECÁRIA DAS ESCOLAS

por Marcilio Bartolomeu Silva e Souza publicado 17/03/2017 21h34, última modificação 17/03/2017 21h34
VEREADORES DETECTAM PROBLEMAS EM MAIS DUAS ESCOLAS DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO

Falta de professores auxiliares, cuidadores, ASG acumulando função de porteiro, falta de segurança e acúmulo de lixo foram apenas alguns dos problemas detectados na manhã de terça-feira 14/03 pelos vereadores Marcos Farias e João dos Ônibus-PHS, Jácio Praxedes-DEM, Jumária Mota-PTN e Ângela Aquino-PTC, em mais duas escolas da rede municipal de ensino.

A atuação dos edis passou pelas escolas CEI Monsenhor Rui Miranda, no bairro Santa Águeda às 10h30 e o CEI Menino Jesus no bairro Nova Descoberta às 11h30.

Em ambos os casos, vários foram os problemas encontrados pelos parlamentares.

As visitas e vistorias às escolas estão sendo realizadas em atendimento às constantes denúncias e pedidos da população. A cada sessão da Câmara, pelo menos um ou dois vereadores se queixam da situação de precariedade em que se encontra a maioria dos estabelecimentos de ensino do município.

“Estamos reunindo dados e informações dessa situação e vamos encaminhar a secretaria de educação e ao prefeito Marconi Barreto, para que sejam tomadas as providências urgentemente, porque as nossas crianças, os nossos jovens e adolescentes não merecem passar por essa situação”, disse a vereadora Ângela Aquino.

No CEI Monsenhor Rui Miranda, a situação é crítica.

Faltam professores auxiliares e cuidadores, falta porteiro, apenas um ASG para cobrir toda a demanda da escola, salas de aula com quase 30 crianças.

Além disso, o estabelecimento necessita de uma nova pintura, recuperação das instalações elétrica e hidráulica, e o pior, o cupim está tomando conta de todo o prédio, e os funcionários ainda são ameaçados de terem descontado em seus contracheques a quantia de R$ 200,00 se aderiram ao movimento grevista.

No CEI Menino Jesus a situação não é muito diferente, e pra começo de conversa, ao chegarem no local os vereadores foram recebidos pelo lixo que está se acumulando na calçada da escola, inclusive importunando os pedestres, por falta de recolhimento por parte da Prefeitura.

A escola está funcionando apenas com duas salas de aula, com 20 alunos cada, exatamente por falta de professores auxiliares, um ASG acumula a função de porteiro mesmo morando em São Gonçalo do Amarante com a obrigação de chegar ao local de trabalho às 6h da manhã, sem falar dos ventiladores todos quebrados e a necessidade de ampla reforma e recuperação das instalações elétrica e hidráulica.

Para os vereadores, além da falta de conservação e manutenção das escolas, ocorre uma visível falta de respeito por parte da gestão municipal com a comunidade escolar e com a própria população.

“Estamos fiscalizando e detectando esses problemas, mas o poder de mudar essa situação é da Secretaria de Educação e do prefeito, e isso nós vamos cobrar”, afirmam os parlamentares.

 

Câmara Municipal de Ceará-Mirim

Assessoria de Comunicação Social

Jorge Moreira – (84) 99139-7320

jorgemoreira2008@hotmail.com